top of page
  • carolpanesi

Buscadora de Mim


Quem sou eu?

Artista, louca, curandeira…

Procuro-me inteira,

a mergulhar no plexo solar.


Chakra terceiro.

Sede das minhas memórias

De agora, de outrora,

e de outro lugar.


Memórias fragmentos,

que trazem detentos sedimentos ancestrais.

Como um âmbar, fossilizando pensamentos,

cristalizando em imagens, Eras imortais.


Encontro-me artista,

Num teatro sem paredes.

Esculpindo minhas sombras,

Sob um filete de luz.


Elemento fogo, apetite voraz

Da emoção, uma porta de entrada

Digna de atenção e vigilância

A cercar território, impedindo invasão.


Sigo o rastro de mim mesma

Num labirinto faminto de respostas,

Onde mesmo a mesa posta, só eu posso me nutrir


Encontro a ninfa guerreira,

A criança e a anciã curandeira

Três faces de um autêntico quebra-cabeça.


A desejar como oferenda as peças,

Num entrelaçamento quântico de afetos,

Pedaços de histórias sem fim nem começo

Apenas um meio, um caminho por si só completo.


Alinhavando lembranças

Acolhendo as faltas camufladas de excesso.


Talvez um citrino pudesse expandir

A abundância de um ser divino,

A me investigar, com a força do amarelo, solar

Com a sustentação de uma calcita,

E um crisoprásio que não me deixa desistir.


Longínquas memórias da Unicidade, perplexa.

Minha mente se encontra rachada,

Polarizada, dual, a devanear

Num esboço insano e ilusório, cor de açafrão

Consciência entrecortada

Como um diafragma, que me divide

pragmaticamente entre o céu e a terra,

Como a corda de um violino

Que atravessa um humano coração.


É… Cá estou um pouco louca.

Na ousadia imperial de um topázio,

Alaranjado como meu quintal,

A abrir espaços e a criar.

A pesquisar minha origem, a investigar raízes,

A vasculhar segredos, denominar os medos,

Num misto de anamnese com efeito placebo

Num balé de morde-assopra

Que cutuca, amplia, sufoca.


Quem sou eu?

Sou um punhado do Todo,

Elixir das estrelas

Sou poesia,

Sou da teia, o fio

Sou uma face tua,

Bordadeira de memória,

A recordar a minha, a tua,

a nossa história.


20/02/22





28 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Solstício de Inverno junho de 2022

Mesmo o dia de maior escuridão, oferta beleza na presença. É o Universo a te atualizar cura em uma velha crença. O outono se despede, a desfolhar de tudo o que não mais serve. Esvazia, emudece, cíclic

A melhor companhia 3/8/22

São tantos os sentidos que me atravessam… Saberes me flecham na luz fria das estrelas, desta noite quente de invisíveis sereias, que cantam silentes e abrem feridas de saudade no coração doente. Seres

A Alquimista agosto 2022

Devo contar-lhes que uma artista é em verdade uma alquimista transcendental . E na tarefa diária e artesanal, escrevo no diário Meus lamentos ilusórios Que Ganham versos e rimas Enquanto o Universo me

4 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Guest
Sep 09, 2023
Rated 5 out of 5 stars.

Maravilhoso!!!

O autoconhecimento é a chave para o adiantamento!

Like
carolpanesi
Sep 09, 2023
Replying to

né rsssss

Like

Guest
Aug 31, 2023
Rated 5 out of 5 stars.

Muito lindo e maduro esse texto. Um mergulho pra dentro, um vôo. E um punhado de cores nesse amarelo-açafrão.

André Lacerda

Like
carolpanesi
Aug 31, 2023
Replying to

gratidão André querido <3

Like
bottom of page