top of page
  • carolpanesi

Vozes de Sabedoria. Fev/2019

A floresta tem vozes de sabedoria.

Desfila a borboleta a beleza da transformação.

Curva-se ao vento suavemente o bambu, se desfolhando em humildade.

Transcorre o rio, as águas que ensinam sobre efemeridade.

A flor libera o perfume da existência.

Ensina sobre o ciclo da vida e sua impermanência.

O sol, energia vital da abundância divina, os raios da realeza.

A árvore inspira fortaleza.

A raiz, o aprofundar, e o pertencer.

Além da memória, que mantém viva a sua história.

As formigas o espírito do trabalhador.

E quanta alegria nos desperta o beija flor.


A floresta fala, canta, grita!

Acolhe as sementes benditas.

Desabrocha no recordar da Unidade.

Os pássaros, o canto da Liberdade.

Abelhas sobre comunidade

O vaga-lume, espelho, reflete nossa luz.

E a lagarta? Quanta resiliência induz.

As cigarras, a anunciação, as libélulas, a adoração.

A plantação, exala coerência em cada grão

Porque não colho banana, se eu plantar mamão.


A floresta tem vozes de sabedoria

A terra inspira fertilidade, nutrição e maternidade

A floresta CURA!

Nos conecta com o que há de mais puro.

E sem ela não haverá algum futuro.

Aflora a intuição, traz ritmo, pulsação.

Orquestra divina.

Oferta em seu sumo a ancestral medicina.

Abriga elementais, protetores, encantados...

Ressoa imanente e transcendente ao mesmo tempo.

Generosa, transborda ensinamento.


Silencio.

Contemplo o palco de tantos Reinos

Ah, Terra Mãe, agradeço

Honro cada broto que tens germinado em mim

e permaneço atenta, a Te escutar

Cada pio, cada pegada, cada farfalhar.

A floresta tem vozes de sabedoria

Reverencio, peço licença.

Que as Vozes ecoem por toda existência

Sejamos sementes


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Solstício de Inverno junho de 2022

Mesmo o dia de maior escuridão, oferta beleza na presença. É o Universo a te atualizar cura em uma velha crença. O outono se despede, a desfolhar de tudo o que não mais serve. Esvazia, emudece, cíclic

A melhor companhia 3/8/22

São tantos os sentidos que me atravessam… Saberes me flecham na luz fria das estrelas, desta noite quente de invisíveis sereias, que cantam silentes e abrem feridas de saudade no coração doente. Seres

A Alquimista agosto 2022

Devo contar-lhes que uma artista é em verdade uma alquimista transcendental . E na tarefa diária e artesanal, escrevo no diário Meus lamentos ilusórios Que Ganham versos e rimas Enquanto o Universo me

bottom of page